Votorantim deve receber reforço de 40 mil doses de vacina contra febre amarela

Um grupo de representantes dos bairros Votocel e Pro morar de Votorantim (SP) foi, nesta segunda-feira (22), à Prefeitura de Votorantim para saber o porquê de a cidade não ter sido incluída na lista de 54 municípios do Estado que vão receber doses fracionadas da vacina contra a febre amarela a partir da próxima quinta-feira (25).

Segundo o governo do Estado, Votorantim não foi incluída no mutirão porque as doses fracionadas são uma prevenção em municípios onde ainda não há reforço de vacinação contra a febre amarela.

Em Votorantim, 800 vacinas são aplicadas por dia, 500 nos postos e 300 de casa em casa, na região próxima do parque do Matão. Nesta área, a vacinação é um bloqueio para evitar a entrada do vírus na cidade. Só precisa ser vacinado quem mora perto do parque ou quem vai viajar para áreas de de risco.

A autônoma Kate Souza Ribeiro diz que em frente à casa dela tem uma mata que a preocupa. “Fico muito preocupada com aquele local”, diz.

Os representantes foram recebidos pelo secretário de planejamento de Votorantim, Carlos Laino, que explicou que quem mora em áreas perto de matas, onde não foram encontrados macacos mortos por febre amarela, não precisa se preocupar.

Prioridade
Votorantim não vai participar do mutirão de vacinação feito pelo governo estadual, mas vai receber um reforço de 40 mil doses contra a febre amarela. A prioridade será para vacinar todos os estudantes das escolas particulares e públicas da cidade.

Assim que as 40 mil doses chegarem a prioridade será das escolas perto do Parque do Matão. “Todos os alunos das escolas municipais, estaduais e particulares, porque as aulas começam e seria interessantes que todos estivessem imunizados e aí vai espalhando para o restante do município”, diz.

As filas em frente às duas unidades de saúde de Votorantim que fazem a vacinação começaram a diminuir em relação à semana passada. Mesmo assim, muitos moradores passaram a madrugada em frente ao posto do Parque Bela Vista para pegar senha.

O empresário Ronaldo César Caprino Leme afirma que mora em área de risco e, por isso, enfrentou a fila. “Principalmente, por causa dos meus filhos. Vou tomar eu e minha família.”

No Jardim Clarice, as 250 senhas acabaram antes das 8h. Segundo a prefeitura, 20 mil doses foram aplicadas em moradores desde o dia 12 de janeiro quando a vacinação começou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.